Oficina gratuita de fotografia no celular



É a primeira vez que vivenciamos uma relação corporal com um dispositivo imagético, de modo tão intenso. Dormimos, acordamos, levamos para cama, para o banheiro, cozinha, todos os cômodos da casa. O dispositivo participa desde velórios, instantes de clímax emocionais, em atos sexuais e nos mais variados instantes íntimos. Um cotidiano que parece ter naturalizado a vivência com o aparelho acoplando-o em nosso corpo diariamente, acumulando registros e memórias.


Para além do mundo dos app, há neste dispositivo a câmera, o vídeo e a fusão câmera-vídeo de alta qualidade de captação e transmissibilidade dessas imagens. No entanto, em perspectiva histórica, é inédito a tamanha popularização dos dispositivos e de igual forma sua possibilidade simplificada de manuseio dos recursos audiovisuais.

Tal simplificação e naturalização de uso tornou corriqueira a reação de surpresa diante de suas possibilidades, como a captação de um videoclipe, uma fotografia publicitária, um filme ou experimentações artísticas.


Esta realização é graças ao fomento do edital Cultura Presente nas Redes, da Secretaria de Cultura do Governo do Estado, onde a partir de uma perspectiva de construção de autonomia e boas práticas de uso dos dispositivos móveis oferecemos uma breve oficina gratuita que irá nos fazer (re)conhecer o conhecido: telefone celular.